Consorcio cujo Foro é no Estado de São Paulo

mar

30

2015

Entramos em um consorcio eu e minha esposaq e pagamos o total de mensalidades R$18.163,63.Pagamos o lance de R$ 19.950, restam 5 prestações que totalizam R$ 3.361,75, se pagas totalizaram um desembolso de R$ 41.524,21. O consorcio que fornecer uma carta de credito de apenas R$ 33.948,00, cobrando uma taxa de administração no valor de R$ 7.576,21, taxa essa, que considero abusiva.Temos como reverter essa situação?

Resposta #1

Espero que seja favorável aos meus anseios!

Answers Respondido por: luizmanoelnavarro [2 Grey Star Level]
Resposta #2

Sr. Luiz,
Obviamente há proteção jurídica com base no Código de Defesa do Consumidor para Vso. caso.
O que vejo alguns anos são administradoras de consórcio ainda divulgando que a carta de crédito representaria um investimento, fato que se informaram tal afirmação para o Sr. ainda resulta propaganda enganosa que lhe daria o direito de chamar a polícia.

Não ficou claro em seu texto se o interesse do Sr. é adquirir algum bem, se já foi adquirido com essa carta de crédito, OU, o que acredito que seja o caso, e irei me basear para responder Vsa. pergunta, seja quitar a carta de crédito nesse próximos meses solicitando o reembolso de tudo que fora pago com juros, correções monetárias e eventualmente porcentagem adicional, mensal, em juros compostos, por ter deixado Vso. dinheiro com a empresa por todos esses meses sem ter obtido qualquer ganho com nessa relação jurídica.

Se a relação ainda fosse, somente, civil, e o Sr. conseguir arguir em juízo todos os números ora explanados em Vsa. pergunta, é caso notório de enriquecimento sem justa causa. Afinal qual fora o benefício para o Sr?

Porém, como estamos diante de uma relação de consumo, fique tranquilo, pois inverte-se o ônus da prova e ao Sr. cabe apenas arguir que adquiriu a prestação de serviço de consórcio de determinado bem com determinada empresa. Destarte, será a empresa que deverá provar números distintos do que o Sr. informar no ajuizamento.

Minha recomendação é contratar um advogado especialista em Direito do Consumidor com habilidade empírica em prestação de serviços contra administradoras de consórcio. Atualmente, posso ver grandes advogados conseguirem logo na notificação extrajudicial, interesse da empresa em reconhecer e negociar o valor de reembolso.

Em outras palavras, as empresas utilizam essa política, pois o Sr. deve concordar que é uma minoria que chega até o fim de um grupo consorcial:
1. Adimplente.
2. Não tenha sido contemplado.
3. Analise, financeiramente, o que o Sr. fez, diferença do que foi pago e do que pretendem lhe pagar.
4. Sentem-se no direito de reclamar.
5. Efetivamente, reclamam com conhecimento jurídico e amparo legal de um profissional.

Logo, a empresa prefere tomar tal atitude e só realizar acordos e negociações com quem passar pelas cinco condições citadas acima. Seja rápido pois o tempo de Vsa. inércia pode ser considerado, tacitamente, como aceito e Vso. direito prescrever.

Answers Respondido por: Dr. Braga [Advogado Red Star Level] [535 Orange Star Level]
Resposta #
Se mesmo com os esclarecimentos acima sobre Consorcio cujo Foro é no Estado de São Paulo, ainda gostaria de realizar mais perguntas sobre o assunto então utilize o espaço de resposta abaixo. Não poste nova pergunta solicitando novos esclarecimentos, pois não será lida.
Caso não tenha obtido resposta por um advogado do site, então saiba como conseguir tal resposta acessando escritorios de advocacia.

Sabe a resposta?

Você deve estar Logged In para postar respostas.

Ainda não é um membro? Registre-se »